Pesquise Aqui

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O Caso do Goleiro "Aranha"



N
osso País é o País das inversões (de papeis, de valores, de prioridades, do “diabo a quatro”).
Imagine só que uma torcedora (Patrícia) foi ao Estádio de Futebol; imagine também o que se diz em um Estádio de Futebol (quando se está na condição de torcedor(a)) contra o árbitro, contra um jogador perna de pau, contra um quero-quero que sobrevoa a cabeça de idiotas, em todos os lugares do estádio... Pois bem, a podre torcedora verbalizou profecias proibidas e por isso “deve” ser condenada a beber cicuta, tão breve, a menos que outro episódio se mostre mais interessante, tão logo! A mesma está, desde então, sob alerta constante, sob a mira de uma (parcela) sociedade demagógica e mentirosa! O goleiro do Santos FC foi chamado de macaco (e o mesmo, de codinome “aranha”, não gostou)... Pediu punição, a mídia fitou os olhos na moça branca (RS) e ela, até o momento vem sofrendo e a amargando um sermão e uma atitude de parcela da sociedade, que é preconceituosa desde a raiz até as nuvens! Ora, não somos nós mesmos que costumamos abandonar a desmerecer a Lei da Criação Cristã, que diz que fomos feitos a partir do barro, pelo Criador? E somos nós também que acreditamos na Ciência, quando ela diz que viemos do Macaco? E que por isso, entre outros, somos todos iguais! Só não me digam que não é a mesma coisa: isso ou aquilo!
Ainda em transe, de um mundo irreal para o mais real dos mundos (porque o mundo real é esse: brasileiros que, em vez de trabalharem e cuidarem de suas vidas saem às ruas, em defesa de outro que não tem nada a ver eles, mas que está tendo o nome e a “indignação” mostrados na mídia, todo dia, toda hora, por isso a moça teve o emprego arrancado, a casa dos pais e seu abrigo lhes foi (e é) negado, pois se lá for, será apedrejada; se andar nas ruas, será espancada, se sorrir terá os dentes quebrados, porque um bando de desocupados confecciona dia a dia cartazes e vai as ruas protestar-lhe; xingar-lhe e multiplicar as ofensas; pede que ele chame a eles de macacos e outros codinomes (“que é para ela ver o que é bom pra tosse...”); por fim, sua casa foi saqueada e incendiada! A mídia, que só quer ver o circo pegar fogo, atiça e assopra com gosto! Ora... Ora, trata-se de mais um bando de delinquentes e demagogos, pois eles se exaltam com um episódio ínfimo e medíocre como esse o é, supervalorizado pela mídia, mas não se sensibilizam com a miséria e a falta de dignidade (com as quais – dentre tantos outros problemas - milhões de pessoas convivem dia a dia). Porque “os manifestantes” se dizem pros, mas estão reproduzindo um comportamento de contras. Por que eles (a sociedade como um todo) não se exaltam, não se revoltam, ao ver outros humanos mendigando nas ruas, desde crianças até adultos, dormindo no chão e comendo restos encontrados no lixo?
Por fim eu pergunto: o que estão fazendo com a moça também não é um crime? O que estão fazendo as autoridades e a justiça brasileira para minimizar esta situação?
Será que é assim que combateremos o preconceito e o racismo em nosso País: reproduzindo violência física e simbólica?
JaloNunes.

Sem comentários:

Enviar um comentário