Pesquise Aqui

quarta-feira, 25 de março de 2015

Há Alguma Insensatez nas Ruas do Brasil?



E
stão dizendo (grupos minoritários e irracionais) que a Presidenta Dilma é contra os pobres e que as medidas tomadas acarretaram na desgraça do Brasil, prejudicando especialmente a classe baixa, ou seja, os pobres! Mas, isto é uma falácia! Afinal de contas pobre não tem carro, logo, não foi afetado pelo aumento dos combustíveis; pobre não usufruiu nenhum centavo dos recursos angariados pelo Petrobras, isto significa que os recursos desviados não fizeram nenhuma falta aos pobres; pobre não entra num supermercado, ou açougue para encher carrinhos e mais carrinhos de produtos alimentícios, higiene, limpeza etc., então, o aumento dos produtos da cesta básica e de outros produtos de uso familiar, não afetou a rotina do pobre... Dificilmente pobre vai ser afetado com o aumento ou com a diminuição da economia brasileira, mesmo porque, sendo rico ou não, o “país dá” somente o mínimo, ao pobre!
Para sermos mais compreendidos é preciso, então, descrever com clareza quem é que está sendo afetado negativamente em nosso país... Os discursos aleatórios, falaciosos, incoerentes e de duplo sentido, precisam ser repensados e reformulados, pois a população está cada vez mais atenta contra os espertalhões.
Mas, se falarmos de classe média e assim sucessivamente, podemos afirmar que uma “desgraça” se alastrou no Brasil... Mas deixo aqui uma recomendação: se os produtos, os serviços, a escola do filho, o shopping, a viagem internacional, a faculdade entre outras aumentaram; bem como os combustíveis..., venda o seu carro e continue alimentando a sua fome de consumo!
No início do texto eu falava em grupos irracionais... E com razão: tem gente indo às ruas por diversão, batendo panelas por vadiagem, querendo voltar a um regime de ditadura, ora, quem está nas ruas parece não ter história e cultura dentro de si... E quando nos encontramos num estágio a-histórico nos tornamos vítimas da nossa própria insensatez...
 JaloNunes.

terça-feira, 10 de março de 2015

Hoje o MST bloqueou Rodovias em Alagoas



H
oje, indo para a capital do Estado de Alagoas, Maceió, nos deparamos com uma série de obstáculos ajuntados e enfeitados por  supostos membros do Movimento dos Sem Terra - MST e do Movimento de Libertação dos Sem Terra - MLST, dentre outros.
Os obstáculos (principalmente pneus, canas e galhos a queimar) situaram-se na chã do Pilar preferencialmente, mas se concentravam também nas imediações do município de Rio Largo e ao pé da ponte próxima ao município de Satuba.
Nós (alguns professores da rede municipal de um  Município do Agreste) não tivemos outra alternativa a não ser solicitar a passagem, alegando que íamos participar do Encontro Estadual de Educação no Campo, em Satuba. E outros, participariam de uma reunião na UNDIME/AL, no Farol.
Descemos do ônibus e ao chegarmos próximos a eles, fomos envolvidos. Dizíamos que estávamos indo a uma palestra e se tratava de um grupo de professores. Lá atrás, alguém dizia: - É mentira, é mentira!­ Mostramos o papel com a programação e mesmo assim não fomos compreendidos. Um de nós voltou a argumentar: - Inclusive há uma palestra que falará sobre o MST! Sem êxito, outro nos respondeu: - Se vão para uma palestra, então fiquem na nossa palestra! Algum de nós indagou: - O que vocês reivindicam? Um deles pensou um pouco e disse: ­ A gente luta contra esse governo que está aí e nada faz...
A resposta foi muito vaga e não justificava aquele movimento que impedia a livre circulação de centenas de pessoas, inclusive doentes que precisavam de cuidados médicos na Capital e eram testados em suas necessidades!
O grupo era desorganizado e envolvia a presença de homens, mulheres, crianças e bebês de colo... Num dos obstáculos se permitia a passagem de algum veículo, no outro o mesmo veículo era forçado a parar!
Por fim, quando já retornávamos ao ônibus, um de nós disse: - Isso só enfraquece vocês!
E fomos obrigados a retornar a nossa cidade, após quase um dia inteiro, em que a cidadania, o direito de ir e vir foi concedido apenas aos nossos, aos escolhidos!
JaloNunes.
 
 
 

quarta-feira, 4 de março de 2015

A saída de Talita do BBB 15



O
ntem, após a eliminação de Talita, uma série de “ações” e “diálogos” se desenvolveu por toda a casa do Big Brother Brasil (BBB 15).
Hoje, lendo sobre alguns episódios ocorridos na casa, através da página online do BOLBBB15, após a eliminação de Talita, fiquei extasiado com o pensamento unilateral e errôneo desenvolvido e verbalizado por Rafael (“namorado” de Talita, até então), aos ouvidos de Fernando...
Segundo o que reproduziu a página online do BOL BBB15, disse Rafael, sobre a postura e permanência de César, na casa: - "Não dá pra entender. Falar com a estátua, ficar em cima do muro isto é bom? Não tem explicação"!
Lendo este trecho, um conjunto de raciocínios e indagações se alarga em minha pobre consciência atordoada:
  • Qual a intensidade positiva e/ou negativa de se conversar com estátua ou de não querer mirar outra pessoa, a fim de vê-la derrotada?
  • Qual a intensidade positiva e/ou negativa de tentar manipular mentes mais frágeis a fim de ver a desgraça de outrem?
  • Qual a intensidade positiva e/ou negativa ao fazer sexo de forma gratuita e com intencionalidade simplesmente direcionada a conquistar e a fascinar a quem “vê”, não a quem faz?
  • Ao que parece, Rafael pensa que o público (telespectador que assiste ao BBB 15) também se encontra enclausurado em uma casa qualquer e que, do mesmo modo, faz estratégias e influencia de forma escancarada e medíocre, para eliminar algum humano da referida casa, desde o momento em que se instaura um novo líder até o último segundo no qual o(s) colega(s) vai ao Confessionário!
  • Rafael, talvez, ache que um casal de namorados (mesmo que seja artificialmente conjugado) é sinônimo de aceitação pelo público e peça chave para ir, na disputa do BBB, até a etapa final. Mas, há “casais de namorados e casais de namorados”!
  • Rafael se esquece que uma boa parte do público renega comportamentos marcados pela arrogância e pela superioridade forjadas, o que tinha sido bastante praticado por Talita!
  • O fato de se fazer sexo e querer potencializar tal ato não implica numa aceitação gratuita pelo público; se o público quer ver sacanagem, compra um filme pornográfico; o público já está farto de corrupção, insinuação, desrespeito com a pessoa humana que compartilha o mesmo espaço. Hoje em dia o telespectador se fixa na frente da TV para ver e ouvir sobre histórias sinceras de superação, de companheirismo, de fraternidade, de compaixão, de amizade, de amor incondicional, de paixão desmedida, de heroísmo, entre outras...
  • Em relação a César ter sido excluído dos grupos não implica a sua eliminação do jogo, porque a essência consciente que diz se uma pessoa deve ficar, ou deve sair da casa, mudou; os BBB 01, 02, 03 (...) não podem ser parâmetro, em hipótese nenhuma, para as últimas edições. O sentido e a sensação que os casais anteriores transmitiram diferem totalmente das novas configurações.
JaloNunes.